ÊXODO 1 – ISRAELITAS ESCRAVOS NO EGITO

Pr. Felipe MoraisCurso Bíblico Online2 Comments

ÊXODO 1 – ISRAELITAS ESCRAVOS NO EGITO

Transcrito pelo irmão: Cristiano Rosenberg Lima

Olá irmãos. A paz do Senhor. Agora estamos no livro do Êxodo, um livro fantástico!

Mas antes vamos fazer uma lembrança do livro de Gênesis. Ele começa de uma maneira muito interessante.

Ele começa com “No princípio criou Deus os céus e a Terra”. Assim o livro começa com criação e conclui “num caixão no Egito”. Parece uma forma esquisita de se terminar um livro tão fantástico e tão lindo, mas o livro do Êxodo faz ligação com o livro de Gênesis e se inicia da seguinte forma:

Ex 1:1-4 “Estes pois são os nomes dos filhos de Israel, que entraram no Egito com Jacó; cada um entrou com a sua casa: Rúbem, Simeão, Levi, e Judá; Issacar, Zebulom, e Benjamim; Dã e Naftali, Gade e Aser.”

Setenta almas...

Você vai ver, por exemplo, que esta contagem, na versão de Estevão em At 7:14 “E José mandou chamar a seu pai Jacó, e a toda sua parentela, que era de setenta e cinco almas” e na versão da Septuaginta também são 75 almas. Mas quem são esses 5? Obviamente os descendentes de Jacó que entraram, mais Jacó, 71, José, que já estava no Egito, 72, Maquir, filho de Manasses, que faz parte da família, 72, a esposa de José, 73, mais Manasses e Efraim fechando os 75 que pertencem a Jacó.

Ex 1:6-7 “faleceu José, e todos os seus irmãos, e toda aquela geração. E os filhos de Israel frutificaram, aumentaram muito, e multiplicaram-se, e foram fortalecidos grandemente; de maneira que a terra se encheu deles.” então passou assim todo período de José, como conclui o livro de Gênesis. Daqui em diante temos um salto de anos.

Vamos fazer uma tradução literal desse verso 7. Ex 1:7 “Os filhos de Israel frutificaram (no útero), abundaram (no parto, também significa, literalmente, enxamearam, como se fosse insetos, é usado apenas uma vez com seres humanos, em Gn 9 quando Deus fala com Noé para que se multiplicasse sobre a terra, mesmo mandamento dado a Adão. Em outras vezes é usada somente para insetos), se multiplicam (crescem), e se revigoram (fortalecem, o interessante é que esta palavra, no Hebraico, tem a ver com o termo “ossos”, se revigorar nos ossos, fortalecer mesmo ), muito, muito (no Hebraico é MEOD, que significa extremamente muito).

Em todo este capitulo está se cumprindo o que Deus falou com Abrão em Gn 15:13-14 “Então disse a Abrão: Saibas, de certo , que peregrina será a tua descendência em terra alheia, e será reduzida à escravidão, e será afligida por quatrocentos anos, mas também eu julgarei a nação, à qual ela tem de servir, e depois sairá com grande riqueza.” vamos prestar atenção nisso: quando os Israelitas saírem do Egito, sairão com grandes riquezas, as quais eles vão ofertar para a construção do Tabernáculo. Mostrando como é lindo o livro de Êxodo. Então já sabemos que a terra do Egito se encheu de Israelita, na terra de Gozem, que é a cidade de Ramessés, que é a melhor terra do Egito, onde se multiplicaram muito.

Como assim?

Em Ex 1:8 “E levantou-se um novo rei sobre o Egito, que não conhecera a José;” como assim?

É possível, mesmo depois de vários anos, alguém se esquecer das benfeitorias de José? Alguns comentaristas acham que isso se refere aos IQUISUS, que dominaram o Egito durante um período. Mas outros dizem que não. Que simplesmente não reconhecem mesmo o que ele fez e desprezar por causa de um protecionismo ou até mesmo um racismo. Você vai observar que a desculpa que eles usam aqui é uma mesma desculpa usada no Nazismo, ou outros que desprezam as pessoas pela sua raça ou pela sua nacionalidade.

 Ex 1:9 “O qual disse ao seu povo: Eis que o povo dos filhos de Israel é muito, e mais poderosos do que nós”.

A bíblia nos fala que é o rei que está dizendo isso. Mas se você verificar alguns livros apócrifos, eles vão dizer que: um homem, como no LIVRO DOS JUSTOS, que deve estar totalmente corrompido hoje, digo isso porque ele fala de Jó, que morava na terra de Uz, foi que deu a ideia de acabar com o povo de Israel. Quando o rei faz uma proposta, dada por Jó da terra de Uz, que é um absurdo essa proposta, queria acabar com o povo de Israel. Depois vou explicar que impossível Jó ter feito isso.  Esse é um dos motivos destes livros não fazerem parte da bíblia. Depois vamos ver o porquê do perigo dos livros apócrifos. Muitos estão “endeusando” livros apócrifos e desprezando as Escrituras.

Continuando vemos, Ex 1:10-22 “Eia, usemos de sabedoria para com eles, para que não se multipliquem, e aconteça que, vindo guerra, eles também se ajuntem com os nossos inimigos, e pelejem contra nós, e subam a terra. E puseram sobre eles maiorais de tributos, para os afligirem com suas cargas. Porque edificaram a Faraó cidades-armazéns, Pitom e Ramessés. Mas quanto mais os afligiam, tanto mais se multiplicavam, e tanto mais cresciam; de maneira que se enfadavam por causa dos filhos de Israel. E os egípcios faziam servir os filhos de Israel com dureza; Assim que lhes fizeram amargar a vida com dura servidão, em barro e em tijolos, e com todo trabalho no campo; com todo o seu serviço, em que os obrigavam com dureza. E o rei do Egito falou às parteiras das hebreias (das quais o nome de uma era Sifrá, e o da outra Puá), e disse: Quando ajudares a dar a luz às hebreias, e as virdes sobre os assentos, se for filho, matai-o, mas se for filha, então viva. As parteiras, porem, temeram a Deus e não fizeram como o rei do Egito lhes dissera, antes conservavam os meninos com vida. Então o rei do Egito chamou as parteiras e disse-lhes: por que fizestes isso, deixando os meninos com vida? E as parteiras disseram a Faraó: é que as mulheres hebreias não são como as egípcias; porque são vivas, e já tem dado à luz antes que a parteira venha a elas. E o povo se aumentou, e se fortaleceu muito. E aconteceu que, como as parteiras temeram a Deus, Ele estabeleceu-lhes casas. Então ordenou Faraó a todo seu povo, dizendo: A todos os filhos que nascerem lançareis no rio, mas a todas as filhas guardareis com vida.”

Essas duas cidades (Pitom e Ramessés) foram construídas pelos Israelitas.

Quanto mais sofriam e padeciam, mais eles cresciam. Sempre foi assim na história do povo de Deus. Eles tinham inveja do povo de Israel.  O senhor lembra o tempo todo sobre essa amargura. Em todo momento em que eles são rebeldes durante a jornada no deserto. O povo tinha que tirar o barro, fazer o tijolo, pegar o tijolo e fazer edificações e no campo eram  penalizados muito mais.

Quanto às parteiras, alguns acham que eram hebreias e outros não. Flavio Josefo diz que essas parteiras eram da nação do Egito. Mas elas vão receber um nome de honra em Hebreu, por isso algumas pessoas consideram que elas eram hebreias. Alguns dizem que não havia apenas duas parteiras, mas na verdade elas eram líderes das parteiras. Por que era necessário ter um grande numero de parteiras para tudo isso que a bíblia diz sobre se multiplicarem muito, então duas parteiras não daria conta de tanto trabalho. Mas com certeza elas eram as principais. Quando a palavra fala sobre “os assentos” no versículo 16, é interessante ressaltar que esta palavra só aparece aqui no Hebraico e aparece como “roda”, igual quando fala em Jeremias que o Senhor quebra o vaso como barro nas mãos do oleiro, ele põe numa roda para moldar novamente. Mas aqui diz que, as mulheres, para ganharem filhos, as mulheres egípcias, ganhavam de modo sentado sobre uma cadeira de pedra ou coisa semelhante. Era a posição que achavam mais confortável para dar a luz. Qual era o medo do rei quanto ao filho homem? Ele tinha medo que o filho se tornasse um rapaz e depois homem e que se voltasse contra o Egito, mas se fosse uma moça não teria problema nenhum. As mulheres poderiam ser absolvidas nas relações com os egípcios e com isso não haveria problema de guerras.  Por temerem a Deus elas desobedeceram as ordens do rei. E ao contrario do que o rei queria o povo de Israel aumentava mais ainda.

Vamos então dividir este capitulo em três etapas para você poder visualizar bem o contexto e o conteúdo.

Êxodo está na tradução da Septuaginta (tradução dos setenta), que pode estar grafada com LXX (que é setenta), mas no texto hebraico é Shemoth, que está relacionado com “as primeiras palavras” e começa assim a narrativa bíblica, iniciando com os nomes dos filhos de Jacó. Sendo ali escrita a primeira geração que desceu ao Egito. Fala sobre as 70 almas mais as outras cinco que já estavam no Egito e Jacó. O mesmo texto usado por Estevam na sua defesa em At 7:14. E também há uma grande evidencia de que os apóstolos usavam a Septuaginta para pregar sobre o antigo testamento.

Mas temos uma particularidade interessante. O nome do livro em Hebraico é Shemoth (que está relacionado com o inicio que fala dos nomes), mas em grego é Êxodo (que está relacionado a saída). E êxodo está ligado a redenção de um povo que é resgatado, e é relacionado com a obra de redenção de Jesus .

Na segunda etapa do capitulo é a escravidão e a opressão dos adultos.

Vemos que a perseguição é igual ao crescimento e sempre foi assim. E com a igreja é assim e podemos ver isso em At 2,4,5,7 e 9, mas é um crescimento numérico genuíno, através do Espirito Santo, não por métodos humanos, porque a perseguição traz aproximação com Deus. Quando a igreja está muito tranquila e sem perseguição, quando o mundo não está se preocupando muito com ela é porque ela está perdendo relevância na sociedade. Mostrando que ela está se corrompendo. Não vai haver crescimento genuíno, mas sim numérico. Igrejas cheias, mas de pessoas vazias.

Nesse período de escravidão dos adultos, os egípcios colocam para servir com dureza. Precisavam fazer tijolos e edificações e no próximo capitulo vamos ver que até palhas eles tinham que buscar. Ou seja, fazer todo o processo sem facilidades e sem receber nada e a base de chicotes. Construíram às cidade de Pitom e Ramessés. De acordo com Flavio Josefo no livro II cap V, diz que os Israelitas construíram pirâmides.  Os israelitas fizeram trabalhos duros no campo, foram humilhados e tinham a vida amarga. Porque é citado sobre a vida amarga? Quando o Deus está tirando o povo do Egito no Ex 12, fala para eles, durante a páscoa, que deveriam comer os pães asmos e ervas amarga, para lembrarem-se do período de amargura que passaram na terra do Egito.

No terceiro e ultimo período deste capitulo fala sobre o infanticídio (matar crianças), ou seja, um aborto doloso “legalizado”. Então as parteiras desobedeceram ao rei, cumprindo o que está escrito em At 5:29 “Porém, respondendo Pedro e os apóstolos, disseram: Mais importa obedecer a Deus do que aos homens.”.

Cuidado com ideologias anticristãs

A bíblia nos ensina a obedecer às autoridades, mas se essa legislação for contra a Palavra de Deus; melhor é obedecer a Deus que aos homens. Hoje vemos muitos crentes que foram contaminados com perversidades ideológicas defendendo aborto. Vamos falar um pouco sobre um assunto... Sempre há alguns debates na televisão. Há sempre uma estratégia no lado abortista que usam alguns argumentos que são: você não concordaria com o aborto no caso de uma mulher estuprada? Você não concordaria com um aborto no caso de uma mãe correr risco de vida? Você não concordaria com aborto no caso de bebê acéfalo (sem cérebro)? Eles usam esses argumentos de uma maneira ilegítima, porque isso já autorizado pela legislação. Então por que trazer esse assunto de volta uma vez que isso já está definido? Eles querem quebrar barreiras aos poucos na sua mente para que você comece a se acostumar com a ideia. Isso desagrada ao Senhor. Segundo a palavra de Deus, aborto é assassinato. O aborto é, na bíblia e na história das religiões, oferecer sacrifícios a divindades demoníacas. Sendo assim, os pais estão oferecendo o fruto do seu ventre para demônios. Fiquem atentos e parem de apoiar causas abortistas. Você precisa preservar a vida. Alguns podem argumentar que na bíblia fala “não matarás”, mas Davi matou. Mas a tradução real fala “não assassinarás”. Aborto é assassinato, diferente de uma legítima defesa.

A intenção do faraó era matar os meninos, devido saber que dentre os meninos nasceria o homem que pisaria a cabeça da serpente.  E isso coincide com a história de Jesus quando Herodes manda matar todos os meninos.

Quanto as parteira: Sifrá significa esplendor e Puá significa luz ou brilho. Ambas estão relacionadas com luz, assim vemos que ambas deveriam receber nomes Hebraicos como esses devido a elas trabalharem com partos, trazendo à luz as crianças.

Não conseguindo matar os meninos através das parteiras, veio o decreto real para que se matassem todos os meninos e jogassem no rio Nilo afogado, grande crueldade, rio que era considerado uma divindade, ou seja, foi um sacrifício aos deuses.

Espero que tenham gostado desse estudo e compreendido. Que Deus te abençoe.

2 Comments on “ÊXODO 1 – ISRAELITAS ESCRAVOS NO EGITO”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *